Desabafo: Lowcarb or Not Lowcarb, eis a questão

jon-tyson-232630-unsplash.jpgDepois de cinco anos nesse barco, comecei a questionar o meu estilo de vida lowcarb. Os últimos dois meses foram uma confusão sem fim — tudo está meio de pernas pro ar, mas estou otimista que vou achar meu rumo.

Primeiro eu criei um grupo lowcarb no facebook para motivar a galera (AKA: para me auto-motivar). Daí eu reencontrei um amigo e abri o coração: “lembra aqueles quarenta quilos que emagreci? Pois recuperei dez e estou louca de medo de recuperar mais trinta. Louca de medo mesmo. Louca de medo de comer um pão e cair num binge-eating de três meses. Louca de medo do final de semana. Louca de medo de terminar o whole30, emagrecer 5Kg em 30 dias de restrição e engordar 6Kg em um final de semana de Netflix”. Foi um momento de lucidez onde, pela primeira vez, pensei que o método lowcarb funciona para emagrecer, mas que esse medo constante de comer não ia dar pra manter como estilo de vida. Daí eu postei no Instagram que não ia mais fazer o #whole30 em abril porque não sabia lidar com a compulsão e tinha que lidar com isso primeiro. Daí eu fui num evento lowcarb aqui em Londres e conheci o maravilhoso do Dr. Souto, e percebi que lowcarb não só me ajudou a emagrecer, mas a reverter resistência a insulina/diabetes2/ovários policísticos. Daí saí hiper motivada e pensei: lowcarbforever, esquece qualquer outra coisa e VAI SER LOW CARB NA VIDA, CARLA. Daí me mantive uma semana linda na linha, mas logo degringolei, comi chocolate, sorvete e pizza (gluten-free, pelo menos). Tudo no mesmo dia. E no outro dia comi risoto, biscoito e umas outras 3 mil calorias. E no outro dia fiz jejum. E no outro dia comi omelete, salada e daí porque o dia estava ruim, uma pizza (gluten free de novo). Daí no outro dia, no caminho da casa pro trabalho, comprei dois chocolates e comi no metrô (se ninguém vê, não conta, né?). Daí vi que não dá. Percebem a confusão? Vi que esse comportamento compulsivo não vai se resolver com #lowcarb ou #nãolowcarb, mas que preciso aprender a driblar a compulsão e que isso precisa ser o foco. Não os dez quilos. Não o pão. Não o método. Não o medo.

E aqui estamos agora. Estou fazendo acompanhamento com uma nutri (pro Hashimoto’s) e com um coach (nutrição e lifestyle). Investindo muito (dinheiro e tempo) nisso, mas com esperanças de que eu não só emagreça aqueles dez quilos recuperados, mas que consiga controlar a Hashimoto’s e melhorar (muito!) o meu relacionamento com a alimentação — forever.

4 comentários sobre “Desabafo: Lowcarb or Not Lowcarb, eis a questão

  1. Oi Carla,
    muito legal, corajoso e importante seu desabafo; também estou na manutenção e me identifiquei em várias coisas, por isso vou ampliar meu comentário:
    Acho que é mais difícil porque não tem uma meta a alcançar, só o objetivo: permanência no peso alcançado. Sem prazo, sem data limite….
    No entanto, para mim que sou gulosa, continua sendo muito mais fácil viver o estilo low carb (redução de itens, mas na quantidade que eu quiser) do que redução calórica (comer pouco de tudo). Inclusive socialmente, comer em restaurantes, em viagens… esses 6 meses têm sido mais fácil que na época de controle de calorias.
    Mas que bom que vc teve a percepção do problema logo no início e tem condições para ser acompanhada por profissionais.
    Torcendo pra que vc encontre o “equilíbrio alimentar” (seja ou não LC😁).
    Continuarei te seguindo pra ver o seu sucesso!!!
    😘

    Curtir

    • Obrigada ❤ Sabe que eu nunca tinha contado calorias, agora estou brincando um pouco com elas e tem sido interessante. É todo um aprendizado essa nossa caminhada, eu achei que ia ser lowcarb pra sempre, talvez ainda seja, não é fácil assim se desapegar de cinco anos nessa vida, mas ao mesmo tempo é bastante libertador ❤ Obrigada pelas palavras de incentivo, sempre tão acolhedoras ❤

      Curtir

  2. Wooooo, súper interesante tu entrada. Te entiendo perfecto, yo no he bajado tanto, apenas estoy en proceso y en mes y medio he bajado 8 kilos.
    Considero que lo primero es darte cuenta que lograste perder 40 kg ( y eso ya es súper valioso y se aplaude) pero también debes aprender a amarte y a disfrutar de la vida equilibradamente.

    El miedo y el stres juegan siempre en nuestra contra. Debemos darnos cuenta que la vida es un disfrute de muchas cosas y no solo de la Comida.

    Enseñarnos a escuchar a nuestro cuerpo, pero sobre todo a entender a nuestras emociones, dejarlas fluir tal cual son sin reprimirlas ni aplacarlas con productos altos en grasa y carbs.

    Des-Aprender, relajarse, respirar y fluir son mis tareas en este proceso.

    Te mando un abrazo, no sufras, mejor disfruta y pide apoyo con tus coach’s para hacer conciencia a estos otros factores,

    Love you my warrior and my example 😘

    Curtir

    • Amiiiga que lindo mensaje, recién hoy lo veo y me emocionas ❤

      Esto de amar-se a uno mismo parece tan simple, pero tan complejo. Uno siempre espera más um más de uno mismo, y mira en los espejos de la vida y parece siempre mucho más apuntar a lo que falta de lo que a uno ha logrado.

      Tienes toda la razón y el foco ahorita esta en amar-se mucho, respetar el cuerpo y tener la mente sana. Espero para distrutarmos juntas en unos meses! ❤

      Curtir

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s